terça-feira, 23 de setembro de 2014

Mas antes de escrever - Dica 05




Você manja nos paranauês das normas ABNT; é ninja em sair escrevendo igual um doido, ou seja, crise de criatividade não é o seu problema; tem as melhores bibliografias que poderia existir e é expert em inglês e não se limita a livros nacionais? Se suas respostas são em grande parte "sim", ainda não esta OK para a monografia pois falta algo muito importante. E para quem teve respostas em sua maioria "não", preocupe-se, caro.
Mas o que é então? o orientador certo.Cheguei a comentar vagamente sobre a escolha do orientador mas neste post, falaremos tudo.
Quem? Como? Quando? Cuma?
Quem?
É importante haver uma certa afinidade entre orientador e orientando e o que parece óbvio parece que é o primeiro item que esquecem na hora de escolher o orientador. A explicação para a importância deste detalhe é que serão muitas horas de trabalho, conversas e um bom relacionamento com este professor facilita as coisas. Mas devo escolher meu orientador pelo quesito professor mais legal - descolado - damos super certo na aula? Claro que não! A empatia é uma delas. Além da afinidade tem que analisar a área do professor, do que adianta querer fazer um trabalho de auditoria com o professor que manja orçamento empresarial? Sem sentido, concorda? Então deve-se pesquisar o currículo lattes do seu possível orientador e analisar as áreas de pesquisa dele e ver se há uma certa coerência.
Ok, mas o professor que gostaria muito que me orientasse nunca troquei uma sequer palavra, e ai? Sem problemas, respeito mútuo salva qualquer situação.
Outro ponto importante é saber como você trabalha, ou seja, eu sou pró-ativo ou reativo? - Oi? Em outras palavras você vai embora nos trabalhos, sem grandes dificuldades de escrever e compreensão sobre os assuntos OU só vai na cobrança, precisa de constantes esclarecimentos, de metas de entregas e afins? Pró-ativo e reativo, entendeu? Um aluno pró-ativo não sente muita falta do orientador nas suas ausências pois este atua mais como um supervisor/conselheiro do trabalho que esta sendo desenvolvido. Já um reativo precisa de um orientador com mais disponibilidade de tempo, logo, que não tenha tantos orientados. Pesquise isso também.

Como?
Para esclarecimentos, o professor não é obrigados a ser seu orientador mesmo com o convite, entenda isso. Ele pode dispensar por diversos motivos cabíveis como: indisponibilidade, muitos orientados já em sua agenda, tema completamente fora de sua ossada ou não vai com a sua cara mesmo. Aceite a recusa caso ela vier.
Outra coisa, tenha plena consciência das suas obrigações perante o trabalho. Respeite os prazos, entenda que é você o protagonista e o orientador não sentará do seu lado e o ajudará a escrever.

Quando?
Assim que dada a largada para a decisão do tema, ao mesmo tempo paralelamente deve-se analisar os orientadores. Deixar para depois pode fazer com que o ideal para a sua linha de pesquisa não possua mais tempo disponível.

Cuma?
Procure antigos orientados do professor que esta em vista, converse e entenda como é o perfil dele na real.


Postar um comentário