sexta-feira, 21 de julho de 2017

Netflix e uma vida entre séries, atividade física, vinhos e amigos

Desaparecer é uma palavra forte, entretanto é o que aconteceu comigo e meu pequeno mundinho na web. Tantas coisas boas e tantas outras chatas aconteceram que, pensar em escrever foi uma das últimas opções da minha lista. Mas desta vez não vou enchê-los de desculpas, apenas de coisas legais que vale a pena ser compartilhadas como, por exemplo, está água com gás!




Ouço neste exato momento o novo CD da Lana Del Rey que foi lançado hoje, dia 21 de julho de 2017, caso você esteja lendo do futuro, ou do passado 👀. Uma delícia de som, para quem gosta de Índie vintage.

Bom, a novidade é que vou postar aqui para vocês as resenhas que fiz para a Immagine por quase um ano sobre alguns livros xodós, outros nem tanto. Tudo bem que quem deseja ler é só clicar na aba no MENU mas, quem dita as regras aqui soy yo então, contentem-se.

Irei compartilhar com vocês - e bem atrasadas - as dicas de lugares para visitar do roteiro que fiz no início do ano e que dá uns par de posts (me senti do interiorrr). E isto só esta acontecendo porque estou saindo de viagem novamente e ainda nem postei para o mundo os lugares, comes e bebes que merecem uma visita da última pernada. Se minha memória me ajudar a listar todos, um mero detalhe 😊
Ah, e as peripécias de uma pessoa que caiu de paraquedas em um novo esporte? Terá sim senhor!

Mas e o que dizer da Netflix, humanos. Resisti friamente e para ser mais exata até 20 dias atrás. A rainha da **** toda, a Sky, fez uma abençoada atualização em seus canais e ali foi o princípio do declínio do seu reinado em minha vida. Perdi meus agendamentos de super estreias de filmes, minhas séries não gravaram mais - sorte que meu Grey's Anatomy já tinha finalizado a temporada -, os documentários de climb ficaram todos furados... Olha, uma perdição. Era eu e meu digníssimo mais perdidos que ~insira aqui uma piada batida ~. 

Foi quando em uma noite de sábado, curtindo uma cerveja com nosso tomateiro predileto, sua Aleluia e a mais nova integrante da família que veio a propaganda gratuita da Netflix. Confesso que o ponta pé inicial foi o fato de House of Cards - suaa série original - que instigou o meu cadastro. Não deu outra, sou parte da geração Netflix e sinto minha noites sendo sugadas pelo vício de assistir uma série completa em apenas um dia.

Agora entendo, todos vocês, que assinaram este sistema streaming de filmes e séries antes de mim. Minha vida agora se resume a dividir meu tempo em Netflix, atividade física, cerveja/vinho e amigos.

terça-feira, 30 de maio de 2017

[Antes dos 30] COISAS QUE SÓ ACONTECEM AOS 30



• Na infância, você achava que aos 30 ia estar meio velha, mas poderosa. A verdade é que você continua meio jovem e provavelmente meio fodida.

• Você trabalha como nunca e recebe como sempre.

• Um conhecido falando sobre você: “Nossa, 30? Não parece!”. Sua avó falando de você: “Nossa, aos 30 eu já tinha quatro filhos”.

• A maior alegria de quem sai da casa dos pais é fazer bagunça à vontade. O passar dos anos traz uma vontade súbita de deixar o ambiente habitável, bem decorado e até limpo (!). Se você já deixou de comprar algo que junta muita poeira, #significa.

• Aos 20, um cara é interessante quando é atraente; aos 30, um cara é atraente quando é interessante.

• Na mesma lógica do cara, aos 20, você considera seu corpo saudável quando ele está bonito. Aos 30, você ama seu corpo porque ele é saudável.

• É bem humilhante programar ressaca com antecedência, mas não resta muita escolha quando o corpo pede arrego. Aos 30, dor de cabeça chega enquanto ainda temos um copo na mão.

• Misteriosamente, a prática de atividade física regular te deixa contente em vez de causar mal humor. Se bobear, ainda rola um sorrisinho de alívio em pleno exercício!

• Inclusive, depois de três décadas seu corpo deixa de ser um estranho e passa a ser um velho conhecido: você já sabe o que pode ou não comer, como chegar ao melhor orgasmo, quantas horas precisa dormir e – nossa, finalmente! – a cor de base que não te deixa com cara de boneca de argila.

• Algumas prioridades mudam. Receber uma mensagem “Eu te amo” é muito bom, mas você já leu uma “Transação aceita” em fim de mês?

• Você repassa mentalmente todos os relacionamentos anteriores e conclui que foi trouxa esse tempo todo, mas agora se transformou em gênia (pelo menos até a próxima decepção).

• Os 30 podem ser tão estranhos a ponto de você começar a estudar por lazer. Tipo, lembra quando você chorava de ódio da escola, do cursinho, da faculdade? Saudades.

• Engana-se quem pensa que a maioridade chega aos 18. A família só para de opinar sobre suas escolhas aos 30, como se você recebesse um Certificado de Maturidade™ junto com o aniversário.

• Quando aquele lance de viajar com mochila e se hospedar em camping deixa de ser aventura e vira tortura, anota aí: você está se transformando nos seus pais. :)

•  Já te ocorreu pagar previdência privada ou pesquisar investimentos seguros? Calma, não pensa muito nisso que o rosto enruga mais.

• Seus sonhos de consumo passam a envolver eletrodomésticos? Agora, o combo robô aspirador de pó + cafeteira italiana é MUITO MELHOR do que bolsa + sapatos importados? Os 30 vieram pra ficar.

• O montante de importância que você dá para a opinião alheia agora é parecido com o montante de dinheiro na sua poupança (isso mesmo, zero!)  👀

• Você se torna menos careta do que quando tinha 20 e poucos.

• Se dá conta de que os 30 são os melhores anos da vida.

• Passa a aproveitar a vida como se houvesse, sim, amanhã, mas um amanhã sempre melhor.

Créditos: Milena Galli

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Trem bala



Hoje tenho algo muito especial para passar a todos vocês que tiram um tempo da sua vida para vir até aqui.
Não é sobre ter todas as pessoas do mundo pra si, é sobre saber que em algum lugar alguém zela por ti. É sobre cantar e poder escutar mais do que a própria voz. É sobre dançar na chuva de vida que cai sobre nós.
É saber se sentir infinito num universo tão vasto e bonito. É saber sonhar e então, fazer valer a pena cada verso daquele poema sobre acreditar. Não é sobre chegar no topo do mundo e saber que venceu, é sobre escalar e sentir que o caminho te fortaleceu, é sobre ser abrigo e também ter morada em outros corações e assim ter amigos contigo em todas as situações.
A gente não pode ter tudo, qual seria a graça do mundo se fosse assim? Por isso, eu prefiro sorrisos e os presentes que a vida trouxe pra perto de mim. Não é sobre tudo que o seu dinheiro é capaz de comprar e sim sobre cada momento, sorriso a se compartilhar. Também não é sobre correr contra o tempo pra ter sempre mais, porque quando menos se espera a vida já ficou pra trás.
Segura teu filho no colo, sorria e abraça seus pais enquanto estão aqui que a vida é trem-bala, parceiro, e a gente é só passageiro prestes a partir.

É sobre descobrir coisas lindas onde menos se espera e se deparar com canções como esta que nos enche de esperança e confiança. É saber que abrir a mente nos faz evoluir e nunca mais nos permitir regredir.

Um beijo especial a Ana Vilela que entoa Trem bala no meu coração e, agora espero que no de vocês também  :D