quarta-feira, 8 de abril de 2015

Nada além de ladrões




As vezes me pergunto se as pessoas que passam por aqui se questionam "essa guria não trabalha não?". Antes de mentalizarem uma procrastinadora de horas no horário de trabalho digo, alto lá! Tudo aqui é antecipadamente escrito, salvo e agendado. Eu não sei por qual razão senti uma necessidade de explicar isto, porque vai que né pessoal, meu gerente acaba caindo aqui.
Eu estava pensando sobre tudo que vem acontecendo na minha vida, as oportunidades, os caos, a pessoa que estou tentando ser (melhorar) e a loucura que estou me metendo a cada dia. Dá vontade de sentar no meio da rua, se a minha rua fosse asfaltada sic, e ali ficar.
É uma dorzinha enjoada que sinto no peito que ainda não consegui distinguir. Incomodo chato que ainda não achei a forma ideal de extravasa-la. Se arrumei mais um tijolinho para colocar no meu muro das indagações/problemas, ao menos achei uma música que toca exatamente o som que eu diria: - É isto que estou sentindo.


Tem outra, peraí.

Meio deprimente né, eu sei.

As duas músicas são da Banda Nothing But Thieves
Postar um comentário