quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Ser Considerada






Em condições adversas ela sempre se encontra completa.Confusão sentimental que lhe tira o sono, mas não sua dignidade de mulher. Ama demais e de menos.







sábado, 13 de novembro de 2010

Insomnia



Queria ter eu motivos para sorrir e para quem sabe acordar de manhã e ir para a janela, se em minha vida houvesse janelas. Às vezes a tristeza se apossa de mim me impedindo de ver todas as coisas maravilhosas que tenho ao meu redor, em vez disso vejo o pacato e a nada mansidão dos meus dias.

Vejo-me presa em algo que nem sei, eu não consigo andar, não consigo evoluir. Percebo minhas noites cada vez mais inquietantes, incomodativas. Sinto vontade de sumir.

Eu não queria estar aqui, nem ali e nem em lugar nenhum. Eu nem sei aonde eu gostaria de estar agora. Talvez seja isto que tanto me incomoda, talvez seja também isso que tira o meu sono e quem sabe a minha vontade de viver.






V.S.R

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Manhãs



"Um beijo molhado
um corpo suado
o cabelo desgrenhado
um abraço apertado
tudo isso depois
de uma noite acordado
com você"



quinta-feira, 9 de setembro de 2010

E... Se?

Se as plantas não morressem e as flores não murchassem, se as folhas não caíssem e as árvores não secassem, eu poderia dizer que os dias amanheceriam mais bonitos o ano inteiro.
Se os sorrisos não se desfizessem e as lágrimas não rolassem, se as mãos não tremessem... E quem sabe se o tempo não passasse e a vida ficasse no seu exato minuto, eu poderia aproveitar mais os segundos, mais os sorrisos e mais os olhares.
Se toda paixão virasse amor, se todo encontro fosse perfeito e se toda briga resolvesse os problemas das pessoas eu não conheceria a desilusão.
Se a vida fosse mais doce e as perdas viessem sem dor. Se não houvesse a palavra ressentimento e se não existisse os rompimentos eu viveria completamente sem arrependimentos e nunca precisaria olhar para trás.




V.S.R


 


terça-feira, 22 de junho de 2010

Recortes

Hoje acordei com uma preguiça de amor, aquela coisinha que incomoda o peito e só acalma quando se encontrar com o mais importante. Antes disso, sofrerei as mínguas de inquietação e o excesso de sentimentos.

 ***

Existe somente uma idade para a gente ser feliz, somente uma época da vida de cada pessoa em que é possível sonhar e fazer planos e ter energia bastante para realizá-los a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.
Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente e desfrutar tudo com toda intensidade sem medo nem culpa de sentir prazer.

Fase dourada em que a gente pode criar. E recriar a vida à nossa própria imagem e semelhança e vestir-se com todas as cores
e experimentar todos os sabores e entregar-se a todos os amores sem preconceito nem pudor.
Tempo de entusiasmo e coragem em que todo desafio é mais um convite à luta que a gente enfrenta com toda disposição de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO, e quantas vezes for preciso.

Esta idade tão fugaz na vida da gente chama-se PRESENTE e tem a duração do instante que passa.

Mario Quintana

segunda-feira, 7 de junho de 2010

A Única Exceção

Quando eu era mais nova eu vi o meu pai chorando e praguejando ao vento. Ele partiu seu próprio coração e eu assisti enquanto ele tentava remontá-lo e minha mãe jurou que jamais se deixaria esquecer. E esse foi o dia que eu prometi nunca cantar sobre o amor se ele não existisse. Mas querido...
Você é a única exceção
Talvez eu saiba em algum lugar no fundo de minha alma que o amor nunca dura. E nós temos que arranjar outros meios de seguir em frente sozinhos ou manter o semblante impassível.
E eu sempre vivi assim, mantendo uma distância confortável. E até agora eu jurei pra mim mesma que eu era feliz com a solidão porque nada disso nunca valeu o risco. Mas querido...
Você é a única exceção
Eu me agarro firme à realidade, mas não posso deixar o que está aqui diante de mim eu sei que vais embora pela manhã, quando acordar. Me deixe com alguma prova de que isso não foi um sonho. Mas querido...
Você é a única exceção
E eu estou quase acreditando. E eu estou quase acreditando...


The Only Exception – Paramore  ¬¬ Amantes de uma boa música.

terça-feira, 25 de maio de 2010

Reticências


É algo, assim, involuntário.

Poderia escrever milhões de palavras para dizer que te quero bem, mas pareceria muito pouco, pequenino demais para a grandeza disso tudo.
Sentir sua falta faz com que meu coração se sinta insignificante e vazio.
Desculpe-me se estou sendo um tanto sonhadora, mas prefiro só aprender a voar junto com a pessoa que eu realmente quero ao meu lado do que dar pequenos vôos e depois cair no chão machucada.
Não troco meus sorrisos bobos de amor, essa alegria mansa, a saudade dolorosa e ao mesmo tempo gostosa de se sentir por algo que não existe...
Por uma Ilusão.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Patinho feio

Ser educado é uma das maiores virtudes que sua família pode lhe ensinar, é uma das mais importantes que você realmente tem que prestar a atenção e aprender, ou seja, sem ela você vai cuspir pra cima e este cuspe vai cair na sua testa (muito profundo)
Resumindo:
Lembro-me da minha adolescência muito tranquila onde eu era a magricela com uma amiga que possuía o posto da gostosa. Mas, como toda mente “rilex” eu não me importava, nunca me liguei para esta questão: corpo escultural (sinônimo de bundão, peitão, coxão…).
Apesar das chacotas serem até maldosas pro meu lado eu nunca perdi uma noite de sono por causa deste assunto. O que não quer dizer que eu não ficava chateada, porque eu ficava. A sensação é horrível…
E pior, até o cara que se relacionava na época com essa minha amiga (que também não é amiga mais), tirava onda da minha cara… Mas tudo bem, Deus escreve certo por linhas tortas… Certo?
Corretíssimo!!!
Hoje, eu mantenho meu lindos 52 Kg comendo muito chocolate, churrasco e lanche do celso e tudo mais a que eu tenho direito estipulado na coluna da planilha de dietas com o título “foge deles se não você engorda”… Já este indivíduo (triste coitado) esta uma bolinha de gorda, o corpo escultural dos seus 15 anos foi embora junto com os seus 15 anos…
Tai pessoal, é aquele velho ditado: nunca fale de ninguém porque no futuro pode ser você… Neste caso, onde eu era a graça de ter meus cambitinhos sou feliz e vista de outra forma, já os que tiravam onda hoje são umas bolinhas ou os olhos que me olham… Sacou?!
Quem um dia já foi o patinho sabe do que eu estou falando…
OBS: ESTE POST NÃO É UMA APOLOGIA A MAGREZA E AS FORMAS DE CONQUISTÁ-LAS. CADA UM TEM QUE SE AMAR DO JEITO QUE É.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Dia de Campo

Não, não é dia de campo da faculdade [como no curso de agronomia].
Como havia comentado no post pós-carnaval, eu fui pro meio do mato, para uma fazenda… quer dizer… respirar o ar mais puro que há. Fui também pescar, o que significa na linguagem popular ser comido vivo por mutucas, pernilongos e todos os tipos de bichinhos [chatos] voadores.
A perseverança sempre prevalece.
Conheci a barragem de Irrigação Flores do Goiás, um lago enoooorme cheio de peixinhos pra pescar. Até alugamos um barco [barquinho] pra ir no meio da lagoazinha [estou sendo modesta] para pegar um surubim, peixão grande ou coisa assim. Mas a única coisa que conseguimos pescar, na verdade, que eu consegui pescar foi uma tartaruga, que nem é tartaruga porque é de água doce e por isso leva outro nome [do qual não sei e não me dei o trabalho de procurar]. É lógico [defensores dos animais] que larguei a bichinha de volta pra água, mas como toda [tonga] pessoa de primeira viagem esqueci de tirar uma foto. Então acho que esse equivoco vai entrar na categoria “história de pescador”.
Já nos rio, rio mesmo no meio do mato onde a caminhada não era menos de 40 minutos [pq carro não entrava, que novidade], pesquei muita piranha.. Ta certo que quando eu pescava uma saia correndo com a vara [molinete] em direção do primeiro ser humano, afinal, se aquilo pega você só sobra os pedacinhos pra contar a história. Até os machos de plantão suava na base na hora de tirar o meu anzol cravado.
Conhecemos também a Cachoeira do Label, ah… essa foi a parte mais linda. Tirando o fato de subirmos o rio [dentro dele] por três quilômetros, as pedras que literalmente tínhamos que escalar, as mutucas, as aranhas caranguejeiras [que apareciam do nada nas pedras], as gotinhas de sangue humano em uma pedras enorme, a sede, os pés torcidos, a vontade de desistir… Mas, estava tudo bem. Seriamos recompensados. E fomos, muito! Um dos lugares mais lindos que conheci, é de tirar o fôlego! São em torno de 120 metros de queda d’água, com um poço com mais de 7 metros de fundura. Uma água gelada, mas transparente e da cor de um azul escuro se olhada por cima. É nesses momentos que percebemos aonde existe o nosso Deus.

Galera, é claro que eu adorei o meu acampamento, esses comentários [maldosos até] é só pra divertir. Pra mim, não há nada melhor do que ir acampar, pescar, conhecer lugares novos e lindos que a nossa natureza criou…
Onde eu Acampei.  É claro que essa foto do satélite do sit da google é muito antiga, porque a sede esta bem diferente, com gramado e pasto para os boiziinhos. Mas o que vale é a intenção, né.
A Barragem de Irrigação Flores do Goiás: Escoamento da Água [para não transbordar… Ai, eu tirei fotinho nesse lugar, rs]
A Cachoeira do Label: A cachoeira do Label é a mais alta do município, com aproximadamente 120 m de altura. Está localizada na Serra Geral do Paranã e é formada pelo córrego Extrema. O acesso é feito por 26 km de carro na estrada municipal não pavimentada. A trilha interna tem 2,5 km com médio grau de dificuldade.

Como não tive tempo de descarregar minha máquina fotográfica para por algumas fotos, vou ficar devendo essa…

Valeuuu gente!!!

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

E eu virei o Que?!

O rouge virou blush
O pó-de-arroz virou pó-compacto
O brilho virou gloss
O rímel virou máscara incolor
A Lycra virou stretch
Anabela virou plataforma
O corpete virou porta-seios
Que virou sutiã
Que virou lib
Que virou silicone
A peruca virou aplique,
interlace, megahair, alongamento
A escova virou chapinha
"Problemas de moça" viraram TPM
Confeti virou MM
A crise de nervos virou estresse
A chita virou viscose.
A purpurina virou gliter
A brilhantina virou mousse
Os halteres viraram bomba
A ergométrica virou spinning
A tanga virou fio dental
E o fio dental virou anti-séptico bucal
Ninguém mais vê...
Ping-Pong virou Babaloo
O a-la-carte virou self-service
A tristeza, depressão
O espaguete virou Miojo pronto
A paquera virou
pegação
A gafieira virou dança de salão
O que era praça virou shopping
A areia virou ringue
A caneta virou teclado
O long play virou CD
A fita de vídeo é DVD
O CD já é MP3
É um filho onde éramos seis
O álbum de fotos agora é mostrado por email
O namoro agora é virtual
A cantada virou torpedo
E do "não" não se tem medo
O break virou street
O samba, pagode
O carnaval de rua virou Sapucaí
O folclore brasileiro,
halloween
O piano agora é teclado, também
O forró de sanfona ficou eletrônico
Fortificante não é mais Biotônico
Bicicleta virou Bike
Polícia e ladrão virou counter strike
Folhetins são novelas de TV
Fauna e flora a
desaparecer
Lobato virou Paulo Coelho
Caetano virou um chato
Chico sumiu da FM e TV
Baby se converteu
RPM desapareceu
Elis ressuscitou em Maria Rita?
Gal virou fênix
Raul e Renato,
Cássia e Cazuza,
Lennon e Elvis,
Todos anjos
Agora só tocam lira...
A AIDS virou gripe
A bala antes encontrada agora é perdida
A violência está coisa maldita!
A maconha é calmante
O professor é agora o facilitador
As lições já não importam mais
A guerra superou a paz
E a sociedade ficou incapaz...
.... De tudo.
Inclusive de notar essas diferenças.

Como não tenho o costume feio de copiar as coisas e não dar os créditos… ai vai: Autor Luiz Fernando Veríssimo!
Segundo o email que recebi, caso não seja [pq caso vcs não sabem tem gente desocupada que escreve ou reescreve algo e coloca como autor alguém muito conhecido], favor me avise…