sexta-feira, 8 de agosto de 2014

10 Sinais de que seu relacionamento não vai bem - Por Samanta


Problemas no paraíso, princesa? Eu sei, você não vai dizer. Mesmo que acorde com uma faca no pescoço vai dar um jeito de transformar isso em um ato romântico e postar uma foto no instagram pra causar inveja nas amigas. EU SEI. Mas, tudo bem, eu quero mesmo tocar seu coração como uma gaita de fole. Eu também sei que relacionamentos são maravilhosos e estar apaixonado é como ter sempre a última fatia do bolo à sua espera, sentir a brisa emaranhar seus cabelos com suavidade e sorrir com os passarinhos cantando. E que não tem nada melhor do que acordar ao lado de quem a gente ama, receber aquela mensagem fofinha de bom dia e passar o dia fazendo planos à dois. Contudo, relacionamentos também decaem de qualidade. A flor murcha, o sol se põe, o vento vira tornado, a gota vira tempestade. Deu pra entender? Tudo tem um clímax, o apogeu, o AI MEU DEUS e depois, geralmente, dá uma caidinha. Isso é normal. Não tem como se manter sempre a mais apaixonada, mais romântica, mais autêntica, mais carinhosa, vomitando arco-íris por onde passa. Não dá, simplesmente. Vá reclamar com Deus ou com Afrodite, sei lá.

A questão é saber avaliar quando as coisas estão realmente ruins, quando é hora de mudar ou, até mesmo, quando as coisas mudaram sem que tenha percebido. Se você não fizer essa auto avaliação do relacionamento, de si mesma e dele, pode acabar colecionando mais frustrações do que conquistas. E todas aquelas promessas feitas com tanto carinho tornam-se ameaçadoras ampulhetas à delatar o tempo que perderam juntos.

Se você não quer discutir isso abertamente, o que eu considero uma sábia decisão, então apenas fique atenta aos sinais que vou descrever abaixo. E deixe uma oferenda na porta da minha casa.

 
1)      Ciúmes irracional.

Acredito que todo mundo é adepto à teoria de que você só desconfia daquilo que é capaz de fazer, não é mesmo? Ou seja, se você acha que seu namorado seria capaz de te trair é como se também se achasse capaz de traí-lo. Claro que na prática, a teoria é outra. Realmente tem muita gente que é louca, psicopata, mas não tão hipócrita nesse sentido. Na verdade, eu prefiro acreditar nisso. E em gnomos. Mas, o ciúmes não tem nada daquilo que dizem “mostrar que você gosta”. Nossa, sério. Esse é o pior argumento de todos os tempos! Eu fico agoniada só de pensar que seja repassado de uma psico pra outra. A verdade é que o ciúmes é claramente uma insegurança, uma posse exagerada, um apego pelo o que nunca te pertenceu. Porque, não adianta, não importa o que você diga à si mesma antes de dormir: ninguém é dono de ninguém. E se alguém quiser trair, VAI TRAIR, independente do quanto você o cerque, prenda, amordace e chantageie. Então, vamos olhar as duas situações:

       1)      Você sendo aquela enlouquecida cega de ciúmes. Comece a se perguntar “por que se sente tão insegura? O que mudou pra se sentir dessa forma?” Mas seja sincera com as respostas, de verdade. Não replique com o que temos na ponta da língua, como manda o manual da mulher-paranoica, mas avalie à fundo o que realmente te incomoda pra se sentir assim, o que te machuca, o que te afeta. Não provoque ou finja ciúmes porque isso NÃO É prova de amor coisa nenhuma.
       2)      Ele sendo aquele muito ciumento. Converse, faça-o sentir segurança e não dê corda pra possessão. Não ache que isso é demonstração de carinho e nem sinta-se mais amada por vê-lo arranjando confusão por sua causa e se afastando de amigos por ciúmes. Isso não é legal, nem saudável. E tampouco, maduro. Vá desdobrando aos poucos qualquer irracionalidade à respeito de traição, insegurança, posse. Mas não se torne submissa com medo de perder, nem aceite qualquer tipo de agressividade com a desculpa de que “você provocou”.

Se, por acaso, essas coisas estão acontecendo então está na hora de tomar uma atitude, um posicionamento mais forte. Ninguém tem mais idade pra usar o ciúmes como termômetro, como parâmetro de satisfação. Se quer tirar proveito disso, lide como algo efêmero, controlado, que pode ser desmitificado.
 


2)  Esperando uma mudança milagrosa.

Ainda está esperando que ele mude da água pro vinho, que se converta, que pare de olhar pra outros rabos de saía, que se vista diferente, que não fale mais com aquela garota? Bom, talvez, você que devesse mudar de namorado. Pessoas podem mudar, sim. Mas isso, geralmente, acontece quando elas querem, quando escolhem, quando se permitem. A sua pressa em torna-lo o que você quer ou se desfazer de quem ele era não vai fazer com que isso aconteça antes do tempo. Não podemos determinar, infelizmente, quando e como alguém vai mudar. São coisas que acontecem ao longo da vida, sem qualquer interferência nossa. Quer dizer, relacionamentos que te desafiam, confrontam e te fazem evoluir, de certa forma, mudam você. Mas isso não quer dizer que seja algo de todo bom ou que sequer seja da forma com que você esperava. A questão é: se ainda está esperando que esse pau que nasceu torto se endireite, está na hora de mudar você de estratégia: se conforme ou se desapegue.
 


3)      Brigas por qualquer coisinha.

O fato mais complicado nos relacionamentos é a frequência. É normal você deixar passar em branco uma coisinha que te incomode e engolir sapo uma vez ou outra, mas a partir do momento que isso se torna parte da sua rotina, do dia a dia do casal, aquela besteinha que não era nada se torna um gigante atrás do pé de feijão. E quando chega nesse estágio fica muito difícil controlar as proporções que podem chegar quando começam a discutir sobre quem vai levar o cachorro pra passear. A verdade é que todo mundo de perto é feio e a convivência faz com que você se torne menos tolerante com pequeninos defeitos. Respire fundo, conte até três e tente meditar. Ninguém é perfeito e tampouco será 100% compatível com todas as suas necessidades. Você vai ter que ser bem paciente e, principalmente, mudo e cego se quiser manter qualquer relacionamento sério por muito tempo. Uma atividade que pode ajudar é enumerar as qualidades e se abster dos defeitos. É claro que é muito mais fácil enxergarmos o que nos incomoda, nos irrita e justamente por isso que você deve se policiar quando começar a fazer aquela enfadonha lista mental de todos os “porquês” ele está sempre errado. É bom também que dobre a língua quando for desdenha-lo para as amigas porque quando a raiva passar, sempre vai parecer alguém sem palavra, sem moral. Então, a lição que vos digo é: enumere as qualidades, os bons motivos que tem pra ficarem juntos e seja mais tolerante. Reconheça que surtar por qualquer coisa é um desgaste e tanto pra relação, mas também pra sua sanidade mental.
 


4)      Obsessão por controle.

A criatura não só quer saber a que horas você vai, mas como, com quem, por qual caminho, que horas volta, o que vai comer e, o mais importante, se o celular está realmente descarregando ou você quer apenas uma desculpa pra se ausentar. Nessas horas, vale até mandar um printscreen da tela pra provar o declínio da bateria. Gente, pelo amor de deus, vamos com calma. Satisfação tem a ver com respeito, é bom e todo mundo gosta. Acho, sim, bem necessária. Mas uma coisa é você dizer pra onde vai, tudo bonitinho, outra bem diferente é você ter uma coleira no pescoço que te proíbe de falar e fazer qualquer coisa sem antes um aval da dona. É natural do ser humano oferecer resistência involuntária quando se sente pressionado à algo. Por exemplo, experimente empurrar uma pessoa aleatória (que seja tua amiga, por favor), ela vai resistir. Vai forçar no lado oposto. É natural! É isso que somos: uma parede de resistência e condicionamento de conduta. Em outras palavras, quanto mais você quiser domesticar alguém a agir de determinada forma, a te mastigar informações e te prometer fidelidade, maiores serão as chances dele fazer isso por obrigação e não porque entende a importância ou tem respeito por você. Se está nesse nível de controle, por favor, repense. Esse tipo de relacionamento tem prazo de validade. E dos curtos, por sinal.




5)      Mentiras.

Mentiras jamais serão saudáveis. NÃO IMPORTA SE VOCÊ AMA SUA TIA, ADMITA QUE O BOLO FICOU HORRÍVEL!! Não, calma. O que eu realmente quero dizer é que eu simplesmente não consigo enxergar o lado bom de mentir pra alguém, ainda que seja pra “proteger seus sentimentos” que, aliás, é a pior mentira de todos os tempos. Já começa daí. Já começa tudo errado! Se você se apega à esse falso altruísmo pra mascarar suas reais intenções: vai padecer no mármore do inferno! E ficar gorda. E se ele se apega à mil e umas desculpas, abre o olho. Nem tudo é o que parece. Ser tolerante não é ser trouxa. Não vejo como um relacionamento pode ser duradouro se for tecido em uma rede de ilusões e egoístas mentiras.
 


6)      Pavio curto.

Ele começou a falar sobre algo e você já pensa “nossa, esse assunto de novo?”. Ele faz uma piadinha e você rir por pena e se lembra de quando ria porque ele estava tentando fazê-la rir e só o ato já lhe era suficiente. Hoje não. Hoje ele é um chato, inconveniente, mas que ACIMA DISSO, você ama. Hum-hum. Você tem certeza? Você está nutrindo, na realidade, uma apatia que logo pode se tornar em abuso, que logo pode se tornar um término. Não quero que fique ansiosa quanto a isso, mas nutrir pensamentos de repulsa, lidar com o sexo como se fosse obrigação e revirar os olhos quando seu parceiro abre a boca, claramente, não são um bom sinal do relacionamento indo de vento em polpa.


 
7)      Egoísmo.

Ambos tem suas necessidades, seus planos, seus sonhos, seu medos. Se ele não é capaz de medir a importância das SUAS necessidades e pensa que só as dele tem urgência, então, ele simplesmente não está em um relacionamento à dois. Está vivendo um romance de mentirinha enquanto faz suas próprias conquistas. Fim.




8)      Depreciar seus sonhos.

sonhos

Sério, você quer estar com uma pessoa que acha uma perda de tempo você ser cantora, pintora, atriz? Que acha que você não devia buscar fazer o que ama, mas sim, o que dá dinheiro? Certamente, essa pessoa não merece estar ao seu lado. O principal pilar do relacionamento é valorizar os sonhos dos outros. Fazer planos à dois. CONSTRUIR JUNTOS. Comecem montando um Lego e terminem abrindo uma empresa. Parceria é isso.




9)      Todo mundo tem passado.

E como o próprio nome diz já foi enterrado e esquecido. Todo mundo já fez coisas que se envergonha, ou seja, ninguém tem o direito de lhe apontar o dedo na cara e julgar seu comportamento rebelde de quando tinha 15 anos. É extremamente cansativo estar com alguém que precisa provar o seu valor toda hora, que precisa provar que gosta, que apenas precisa provar quem é.
 


10)   Pressão para casar.

Temos essa pressa de dar certo, de fazer as coisas certas, de ser alguém que vale a pena. E, as vezes, a pessoa que a gente está simplesmente não quer isso AGORA. Vai colocar uma faca no pescoço dele? Vai cobrar dele datas, lugares, compromisso? Isso não existe. Você VAI TER que aceitar e respeitar os interesses dele também. Afinal, ISSO é estar em um relacionamento.

Por Samanta
Postar um comentário