terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Pessoas, comportamento, civilização; logo, tudo que me tira do sério


Em um dado momento, do qual não sei dizer quando especificamente, optei por manter próximo a mim somente as pessoas que se importavam. Não estou me referindo a aqueles amigos que sempre se lembram de você para uma festa, digo sobre os que estão, entendem e querem estar ao seu lado nas mais diversas situações, das mais tolas as mais sérias porque são importantes para você.
Um dia e este dia é hoje, só há a exaustão em tentar explicar o pq da presença é imprescindível e, sinceramente, se não há movimentação por parte delas em busca de uma relação mais próxima não é por não poderem e sim por não se importarem.
É claro, limpo e translúcido.
Nós como seres humanos pensantes nessas horas deixamos de “pensar” e optamos por desculpas que nem saem da boca alheia, ou seja, escolhemos criar desculpas tentando nos convencer de que aquilo ou isso é importante também, mas não é. Enfim.
Eu li a frase que esta la em baixo em uma Page que eu curto no facebook e é mais que uma expressão, deveria ser levada a sério e por muitos. Saber a hora de chegar e a hora de sair da vida de uma pessoa é infinitamente mais complexo do que  a nossa mera imaginação consegue aflorar, envolve tantos N e X das questões que o pior de tudo isso é: quando querem estar presentes mas não o fazem. Isso me estressa.
Quem não conhece a pessoa aqui que escreve para este vão mundo da internet vai chegar a uma única conclusão: o assunto é relacionamento amoroso. Não inteligência do tamanho de um grão de areia. Toda esta parafernalha de palavras é para o seu todo e isto envolve amigos, colegas de trabalho, colegas de faculdade, familiares e também (ao que se encaixa) companheiro(a). Você já sentiu que muitos gostariam de participar da sua vida mais ativamente mas também você não os veem fazenda nada para que isso aconteça? Sabem apenas cobrar companhia, cobrar atenção, cobrar visita, cobrar ligação, cobrar carinho, cobrar, cobrar, cobrar, cobrar e mais cobranças... É isso que me irrita!
O mundo já esta cheio de gente cocôzinho para tornar ele pior, porque infernizar quem você ama (em todas as suas formas) com chatices "chatas" em vez de faze-las(os) mais felizes e completas(os) com surpresas. E adivinha, a surpresa é você mexer essa bunda e ir atrás, fazer e acontecer em vez de ficar choramingando a falta de alguma coisa que ela(e) deixou de fazer.
É algo que sempre digo: As pessoas mudam, ficam velhas e quem sempre vai atrás uma hora vai ficar parada, bonitinha sentada no seu próprio sofá.

“Não existe falta de tempo, existe falta de interesse.
Porque quando a gente quer mesmo, a madrugada vira dia.
Quarta-feira vira sábado e um momento vira oportunidade”

Postar um comentário