quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Este é um texto sobre a falta de educação de Charlie Hebdo


Rodando pelas redes sociais estes dias me deparei com inúmeros comentários no mínimo singulares e já generalizados que em resumo expressavam as seguintes opiniões após olharem algumas charges do Charlie Hebdo: "que eles eram uns babacas" ou "imbecis" ou "um bando de idiotas que não possuíam respeito por ninguém". Confesso que em Dezembro não fui uma cidadã muito informada e quando entrei de férias menos ainda; internet era apenas para recados à minha família do tipo "to aqui", "tô lá", "tô viva" e "estou voltando".
Resumindo, fiquei sabendo dos atentados pela boca dos mais informados. Uma triste fatalidade, com toda certeza.
Acontece que (vou chutar) 95% da população não sabia o que era Charlie Hebdo e se ouvisse poderia concluir que era uma pessoa, de carne e osso. Eu fazia parte destes 95%, não irei mentir... Então a ação normal de qualquer ser humano após uma grande noticia é ir no pai google pesquisar do que se trata e assim fez inúmeros brasileiros.
Logo após veio a enxurrada de textos sobre o desrespeito dos mortos e já enterrados.
Desrespeito.
Será mesmo?
Sabe o que eu acho, sinceramente? Que destes 95% que não faziam ideia da existência destas charges ao olharem cinco, dez ou até quinze desenhos concluíram que eram baita de uns babacas e ponto final. Não se deram o trabalho de ver além dos desenho. 
Quando eu busquei informações sobre o que seria o Charlie Hebdo, suas grandes publicações e irreverência; eu vi um Porta dos Fundos impresso em vez de vídeos.
Porta dos Fundos já "chamou" Deus de broxa e safadinho que faz ménage. E ai? Estes que acharam um "ABSURRRRDO, MEU DEUS!!" as charges dos franceses, riam a cinco minutos atrás com os vídeos do Porta dos Fundos. 
??? 
Então larguem de serem alienados nas informações. Só porque o que circula em massa na rede era "o desrespeito" (entre aspas mesmo) que praticavam não significa necessariamente que seja. 
Perdeu a graça porque você se viu dentro da piada contada? Mas se estivesse fora seria engraçado, né.
Esta se ofendendo por qual razão se não sentiu nada de remorso com suas gargalhadas no humor negro praticado no Brasil? Humor do qual zoa: Presidente, trabalhador, evangélico, católico, policiais, política, candomblé, gays, héteros, etc, etc, etc. Nada escapava como TEMA para os jornalistas mortos, assim como para os nossos comediantes e sua vastidão (de humor) negro.
Se não aguenta, pede para sair.


Obs: Só porque você acha eles uns babacas não torna eles babacas. É a sua cultura, tradição, caráter (e outros inúmeros itens pessoais) fazendo estereótipos sobre o trabalho de outras pessoas.
Se feito uma análise além do que esta esparramado na internet e continuar com a mesma opinião, aí é a sua opinião de fato. Não ideia por tabela.
Postar um comentário