sábado, 22 de novembro de 2014

#25 Coisas que aprendo antes dos 25 - Nunca deixe para amanhã o seu hoje

Por que já é a metade de cinquenta e alguma coisa eu devo ter absorvido de todos os socos que levei desta moça chamada vida.

Nunca deixe para amanhã o seu hoje





Talvez neste exato momento inconscientemente você completou o título desta última postagem sobre "Coisas que aprendi antes dos 25". Sim, você esta correto: Nunca deixe para amanhã o seu hoje porque NÃO SABEMOS e NUNCA SABEREMOS como será o nosso amanhã independente de quantos planos façamos.
Hoje estou completando 25 anos, um dia igual aos demais. A diferença não esta no meu externo apesar de ter crescido um pouco mais e minha cintura um pouco maior (o que ainda não me tirou do rol das magras demais, aceito meu corpo e a minha secura), a mudança esta lá no fundo do meu coração e tem tudo haver com o que passei em outubro, mês passado.
Apesar de não aparentar eu estive ausente por um bom período, as postagens agendadas foram ocupando a lacuna de tempo que eu não estava tendo e assim a cada semana o blog ia se atualizando sem eu nem dar as caras por aqui. No facebook só logava para dar uma olhada nas novidades sem grande interesse especifico assim como as demais redes sociais que participo que normalmente se atualizam devido uma estar conectada a outra; logo, uma postagem agendada aqui já caia no Google+, Twitter e no Pinterest. A única rede social que me mantive ON foi meu Instagram (@cbredlich), amo fotografia e apesar de não ser expert no assunto sinto um elo legal entre as fotos e os sentimentos, uma forma de expressão silenciosa.
No início do mês passado meu namorado sofreu um acidente de trânsito grave, foi algo que nunca pensei que passaria assim como não temos a ideia do quanto é doloroso passar por isto. Meu pai é motorista e apesar dos riscos da profissão nós achamos que este tipo de situação não acontece conosco, não com a nossa família, não com quem amamos. Mesmo sabendo dos riscos da estrada ficamos aparentemente tranquilos, desejamos um "boa viagem", "dirige com cuidado" já no modo automático porque nunca aconteceu nada e nunca irá acontecer.
Era um sábado normal, acordamos como qualquer outro dia normal, me deixou em casa, lhe desejei boa viagem, dirige com cuidado e devagar. Trocamos mensagens na ida, durante a volta e estava tudo bem. Havíamos marcado de jantarmos juntos pizza, a melhor pizza da cidade e assim passou-se 30 minutos do horário (mais ou menos) estipulado para sua chegada. 40 minutos. 90 minutos. Mandei novas mensagens sem retorno mas é claro que sempre pensamos em um atraso normal, em uma parada não programada... E 120 minutos depois recebo a notícia.
O que aprendi (e da forma mais cruel) com tudo isso:
  1. Que cinto de segurança salva vidas, de verdade;
  2. Que quanto mais você corre de carro mais próximo da tragédia você anda (tudo poderia ter sido muito pior se estivessem em alta velocidade);
  3. Ame, ame muito, ame sem medo;
  4. Tenha paciência com as pessoas que te querem bem, quando passamos por algo assim é inevitável darmos mais valor as pessoas e a respeita-las mais;
  5. Apesar do seu dia ter sido ruim, não despeje esta carga negativa nos que te amam;
  6. Valorize seus amigos, sua família, seu(a) companheiro(a);
  7. Se quer ir viajar, viaje hoje. Não adie tudo o que você pode fazer no curto prazo. Viva os momentos, viva as emoções;
  8. Se errou, peça perdão;
  9. Se deixar para resolver um problema pessoal com alguém para amanhã, pode não ter esta chance no amanhã;
  10. Ame sua vida e agradeça por ela.
Apesar de todo o sofrimento e do susto, meu amor esta bem. Sua recuperação é de forma lenta e constante assim como os demais passageiros do veículo aparentavam estar... A cada dia eles foram evoluindo para melhor e acalmando os corações das pessoas que os queriam bem. Porém, se Deus existe e tem um plano para a vida de todos nós confesso que não entendo-o; a exatos trinta um dias atrás (22/10) recebia a notícia que um dos passageiros do veículo não resistiu e veio a falecer  :(
Ele deixou uma esposa e três lindos filhos.
Então, o que eu quis passar neste texto é que nada vai valer a pena se não colocarmos amor nas coisas, nenhum esforço será bom o bastante se não vivermos com leveza, com paixão. Temos que dar valor as pessoas que nos cercam e temos que demonstrar o quanto elas são especiais para nós. Não podemos ter medo da vida e dos sentimentos, não podemos segurar nossas emoções porque o amanhã ninguém conhece e talvez amanhã você não consiga dizer o "eu te amo" que deixou de dizer hoje a pessoa mais especial da sua vida.
Postar um comentário