terça-feira, 2 de abril de 2013

Tantas coisas aconteceram...


Hoje eu acordo mais cedo do que acordava nos últimos 7 anos. A sete anos atrás acordava todos os dias as 06:00 horas para estar no Colégio as 07:00; era eu e o 2° ano do ensino médio. Tinha meus pequeninos 15 anos, era cheia de vida, estudante não muito aplicada mas isso não era um problema porque tudo se compensava na minha facilidade de aprendizagem. Vida de adolescente.
No ano seguinte foi a grande revelação para muitos, o maldoso 3° ano e a decisão de qual curso fazer na faculdade. Era e é ainda um grande passo que para mim naquela época não era muito cabreiro como pintavam, e ainda o pintam como um grande demônio de cinco mil cabeças. Era simples: Física, Matemática ou Química. Sim! Meus grandes sonhos se resumiam as minhas três matérias preferidas, sendo que tal amor por física e química foi despertado no último ano do ensino médio enquanto, matemática, era meu caso antigo.
Mas o que não sabemos quando jovens é que coisas avassaladoras acontecem em nossas vidas, que alteram completamente nossos minúsculos sonhos ainda em formação: Eu não tinha como sair da cidade (do qual moro até hoje) para seguir aquilo que eu acreditava ser meu futuro. É... Ali morreu uma parte de mim sem nem eu perceber e esta etapa boicotada se tornou o meu eterno "e se...".
O que a maioria não sabe é que eu, Caroline, não desisto fácil das coisas. É claro que houve algumas alterações do meu percurso inicial, fiz faculdade de Ciências Contábeis, me apaixonei pela profissão (embora eu seja uma profissional muito crua ainda) e recalculei a rota do meu futuro, com todas as adequações necessárias.
Não me formei para abrir uma contabilidade, nem para calcular folhas e mais folhas de pagamentos, nem para emitir inúmeras guias de impostos, tributos, taxas e afins. Não conclui quatro anos de faculdade para ficar montando balaços, fechamentos fiscais, dre, fluxos de caixa e todas as outras "coisas" obrigatórias e que cabe a nós, contadores. Eu os admiro muito todos aqueles que amam esta parte porque, cara, vocês são fodas! É muita coisa, são muitos detalhes, precisa de muito conhecimento que não se limita apenas a área contábil mas também as áreas de direito, administração, economia e etc etc etc...
Eu me formei para seguir uma área da contabilidade mais gerencial, os grandes concursos públicos, as grandes oportunidades.
A Caroline formada continua sendo a mesma Caroline. Não me acho mais inteligente do que ninguém só porque tenho agora um diploma na mão, não acho que sou sabidona ou experta nos assuntos contábeis. O que eu sei é que tenho um longo caminho pela frente de aprendizagem, e nesse caminho desfrutarei de todos os conhecimentos possíveis para chegar aonde sempre quis: "viver do jeito que sempre desejei, tranquila".
A Caroline continua saindo para os mesmo lugares, continua acordando toda preguiçosa de manhã como sempre foi e mantém seus livros na cabeceira da cama do mesmo jeito que antes. Não mudou seu estilo, suas roupas ou sua maneira de agir. A diferença entre a Caroline estudante e a Caroline formada é que concluí uma etapa do qual muitos não conseguem por N motivos que não vem ao caso agora. A diferença é que no fundo não deixei de ser estudante (uma pós-graduação já começa logo ali) e no fim, a sensação que tenho na verdade é que dei inicio a grande e mais longa jornada da vida: Construir a minha vida sem meus pais no quarto ao lado.





Postar um comentário