sexta-feira, 12 de junho de 2015

Dia dos namorados fail


Após nove anos comemorando o dia dos namorados com os meus namorados o que no plural não significa que estava namorando dois ao mesmo tempo, é no sentido de não ter nove anos de namoro com a mesma pessoa, enfim, vocês entenderam. Posso concluir que este dia é uma bosta e com toda certeza não é de Deus.
Primeiro ele já nasceu errado porque tudo nele dará zica e o dia perfeito, lindo e romântico que você projetou na sua cabecinha não vai acontecer. Se nos seus sonhos você imaginou um jantar top, um lugar tranquilo e até algumas rosas, saiba que a comida estará ruim, o ambiente abarrotado de pessoas e as flores murchas porque no fundo ninguém se importa com esta data. Pelo menos um da relação esta nem aí para esta sexta-feira.
Comemorar o dia dos namorados tornou-se uma grande dor de cabeça. Se você quiser ir a um lugar bom terá que se dar o trabalho de reservar uma mesa, o que de certa forma já te torna a bocó da história em correr atrás disto. As vezes a outra pessoa esta se lixando para esta data e você esta lá pipocando de restaurante em restaurante tentando achar uma mesa para chamar de sua.


Escolhido o presente (a dedo) você espera muito em troca. É inconsciente e não adianta negar. Você se da o trabalho de ler cartão por cartão até achar um com algo escrito que seja no mínimo coerente e que não tenha uma capa tão infantil; acrescenta algo pessoal e pronto - tens um presente legal que é a cara da pessoa. Até respira fundo com sentimento de dever cumprido afinal você ama o indivíduo e quer deixa-lo surpreso e feliz em ser tão fodástica em dar presentes úteis/legais.
Como recompensa de todo este trabalho você recebe nada mais que um NADA. Depois de séculos no telefone para achar uma reserva seu(a) parceiro(a) solta apenas um som monossilábico de HÃNN e fecha com chave de ouro NEM ME LEMBRAVA DISSO.
Um presente, lembrança ou uma flor murcha? Não, você limita-se a ouvir "não tive tempo para comprar", "esqueci", "eu não sei o que te dar" ou o pior de todas "o que você quer ganhar?".
Olha amigo, se eu decidir o que eu quero ganhar de presente DE VOCÊ dos dias dos NAMORADOS eu mesmo compro e fica um presente de mim para mim. Se é que pode usar tanto mim em uma frase.
O que estou tentando passar é que nos importamos demais, de novo. Queremos tanto deixar o outro contente e com sentimento de amado que viramos um bobo da corte esperando em troca um sorriso lindo e sincero. Mas não, o máximo que leva para casa é um sorrisinho torto e sem graça por você ter armado todo aquele circo e o outro esquecido ou só não ter dado importância.
Não há empenho, nem força de vontade e muito menos determinação em conhecer a pessoa que esta te aturando a o que? Dois, três, quatro anos? Somos acomodados por natureza e isto me entristece, de verdade. Ver tantos por ai querendo tornar um dia especial e não receber nada em troca, nenhuma mexida de mindinho para não dizer que o outro não mexeu a bunda da cadeira.
Lembro-me de por muito tempo escrever que as pessoas se prendem demais as palavras; o que buscamos são ações. Verdades expressas em atitudes simples assinarão embaixo de cada frase que já disse à alguém. Só suas atitudes darão o endosso as palavras e sem elas não passam de ditos soltos por aí.
Se tudo isto pode piorar? Claro que pode, sempre pode. Você Falar, falar, falar, falar machuca os nossos ouvidos. Estamos cansados de ouvir desculpas, lamentações e explicações das razões que os levaram a mais um ano ser uma mosca morta.
Já ouvir que a vida é uma via de mão dupla? Pois é, pare um pouco e analise se sua via não esta só recebendo. Sem reciprocidade a coisa não anda.

E para fechar, mais uma vez This Summer's Gonna Hurt Like a Motherfucker porque né...


Postar um comentário