quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Ciclos que encerramos



Eu abri a caixa do post querendo escrever algo muito legal e impactante. Algo que fizesse diferença no seu dia e que de alguma forma iria te tornar melhor ou desse aquele empurrãozinho que estejas precisando em algo. O “vai lá que você consegue” que falta ouvir para cair de cabeça no seu projeto de vida.

Diminuindo um pouco a amplitude, que tal o projeto do ano.



Neste exato momento em que escrevo só aleatoriedades ouço uma playlist indie/folk e aí é algo que eu nunca me imaginei gostando: indie/folk. Como nós mudamos.

Junto com este som relaxante eu só consigo imaginar minhas próximas férias, a tão desejada férias. A ideia é ir a um novo local desconhecido – colocando em prática mesmo – de que devemos ao menos uma vez por ano visitar um lugar que não conhecemos. Quando saímos da nossa zona de conforto indo a um local completamente novo acontece algo muito surreal: nos entendemos melhor como pessoas e a paz que precisamos deste mundo corrido em que tudo tem hora e compromisso nos revitaliza para o início de mais um ciclo.

Eu que sou viciada em ter tudo programado, minhas aulas, o quanto tenho que produzir no TCC por dia, o quanto posso estender o horário de trabalho durante a semana sem atrapalhar os demais afazeres... E por ai vai. Esta pausa é o que fecha meu ciclo, encerra com chave de ouro os anos. E estas músicas me levam a minha última viagem, Arraial d’Ajuda. O local que fiquei era simplesmente encantador, acordar de manhã e ser recepcionada por aquele mar imenso azul todas as manhãs quando ia para a sacada realmente não tem preço. São dias que eternamente ficarão na minha memória. Foram 10 dias na estrada de muita diversão e conhecimento.

Mas se tem algo que posso acrescentar é: separe um tempo a você e conclua seus projetos. Postergar planos independente de qual área da sua vida sejam é algo triste de se fazer. Ao encerrar o ano, cinco anos, dez anos você não terá saído do lugar e provavelmente será uma pessoa frustrada. Então feche seus ciclos e entre eles tire dias para você.

Viaje sozinho. Viaje acompanhado ou com uma turma de amigos. Apenas saia do seu ambiente e descubra novos lugares, novas culturas, novas formas de se sentir mais vivo.

Hoje faltam exatamente 10 dias para o início de setembro – e provavelmente deixarei esta postagem apenas para o mês de setembro – estou quase encerrando uma fase da minha vida. Hoje estarei entregando as duas versões do meu trabalho de conclusão da minha pós, o impresso e o CD. O quase encerrando é porque ainda não temos a data de apresentação mas certamente será em setembro e talvez quando este post entre no site, eu já terei concluído tudo. 100%.

O meu sentimento é de dever cumprido. Estou feliz. Estou mais feliz ainda porque além de estar encerrando este compromisso que assumi em 2013, algumas decisões que tomei nestes últimos meses tornará real um outro item da minha lista de 2015 e se tudo caminhar como o previsto acontecerá em meados de novembro e dezembro.
Eu queria que minhas palavras hoje fossem mais do que minha alegria de estar chegando no meu LÁ de curto prazo. Gostaria que sentissem motivação para a correr atrás e vivessem mais felizes, mais de coração leve. Tirem os pesos dos ombros e carreguem apenas o necessário, o correto, o que te preenche como pessoa e não como um consumista. Ser mais empático com os demais, ajuda.
Relendo tudo que escrevi não faz muito sentido, mas talvez faça para você.
Postar um comentário