sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Vida de pós

Naturalmente eu já bebo muito café, soma graduação em Ciências Contábeis =  mais café
soma rotina de trabalho no setor contábil de uma associação sem fins lucrativos (é muito pepino) = mais café
e por último, soma uma pós FGV com foco em controladoria e auditoria = muuuuito café

Não me descrevendo como um gênio dos estudos e afins mas, sim, eu não sofri na minha graduação. Não por que o curso não era bom ou os professores ruins e sim porque eu tenho uma facilidade com cálculos e tinha uma programação legal de estudos mesmo trabalhando o dia inteiro, leia-se, finais de semana sem vida social e estudos até a madrugada. chupa essa preguiçosos que tem a capacidade de reprovarem tendo como obrigação só a faculdade
Agora eu entrei em outro nível (pós-graduação lato sensu) lato sensu porque eu não estou afim de virar professora universitária ou pesquisadora. Quero mesmo entrar no fogo cruzado, no mercado cruel e competitivo. Quero ver sangue!
As aulas são realmente carregadas de assuntos, se eu tenho oito horas de aulas são exatamente oito horas de assuntos constantes e totalmente novos em uma linha do tempo completamente perfeita. Nem aquele papo descontração rola.
O resultado? Em um final de semana de Economia Aplicada ao ler na internet após a aula uns prospectos da economia brasileira eu tive uma luz “Meu Deus, eu estou entendo de verdade o que o cara escreveu!” e juro, é muito louco economia e não tem nada de simples. 
Minhas aulas retornam hoje e sempre que der vou escrever coisas que você vê só em uma pós. Hilário, só que não.

Pra descontrair, uma lista de algumas regras básicas sobre pós-graduação (Li no PósGraduando

1. Você precisa ter uma família tão compreensiva quanto o seu orientador (e tem orientador compreensivo? Não…E nem família!)
2. Tem que estar preparado para os seus familiares nunca entenderem que ser bolsista da CAPES e receber para estudar é como um trabalho, você cumpre horas, tem atividades obrigatórias e não pode ter um “trabalho de verdade”.
3. Se você fizer algum curso, como Ciências Sociais, Analista de Dados, Ciências da Religião ou algo assim, será pior ainda, eles nunca vão entender nem o que você estuda e pra que serve essa coisa. (E não tente explicar, será pior).
4. Aprenda que sempre que você tiver um artigo pra escrever para o dia seguinte, seu filho vai ficar carente ou doente.
5. Sua mãe nunca vai entender quando você disser: “Mãe, hoje tenho que escrever um capítulo da qualificação”, ela só vai entender que você não lavou a pilha de roupas que ela pediu.
6. Seu pai só vai ter orgulho de você, caso escolha uma pós-graduação em Medicina ou Direito.
7. Se tiver um trabalho paralelo a pós, o seu chefe nunca vai aceitar que você falte porque tem que apresentar um seminário ou porque tem que assistir a uma conferência, e mais, que isso também faz parte do regimento.
8. Você vai achar que está louco, quando alguém pergunta o que você faz e você conta todo o seu projeto de pesquisa na mesa do bar (Não você não esta louco, você é pós-graduando).
9. Sair pra balada…essa eu adoro! Você paquerando o gatinho e ele te pergunta “O que você faz?” E ai você toda orgulhosa responde: “Mestrado em Ciências Sociais” e o carinha com aquela cara de quem nem faz ideia do que seja, responde: “Legal, vou ali no banheiro!”…rs….O que ele iria falar?…Dica muito importante para as solteiras…Nunca fale isso na balada!
10. Sempre fale pra sua filha ou filho o que você faz com orgulho e mostre os benefícios de estudar e fazer pós-graduação, mesmo que não façam a menor ideia do que isso signifique, porque eles vão reproduzir para as outras pessoas com o mesmo orgulho (Aí pelo menos alguém terá orgulho do que você faz!).
11. Aceite que seu tempo será contado em páginas e não mais em horas ou no máximo em textos que você deixou de ler para estar fazendo coisas cotidianas, como ir ao shopping com a família ou fazer um churrasco no domingo.
12. Que seu filho, seus amigos e sua família, principalmente as mães, (estas são as piores) dizem entender e estarem sempre ao seu lado, mas não fazem silêncio pra você escrever e não conseguem aceitar que você pode passar o dia todo no computador escrevendo sua dissertação com o facebook aberto!
13. Mas uma coisa é verdade, poder ver o mundo com os olhos de um pós-graduando te habilita a levar com bom humor as páginas dessa dissertação, sempre dentro das normas da ABNT, claro!
Postar um comentário