quarta-feira, 18 de maio de 2011

Velhos Hábitos




Creio cegamente, que é difícil pra qualquer um carregar um fardo que não lhe pertence. Não foi você que o fez, não deveria ser você a carrega-lo. Se tudo fosse simples assim...
O problema e sempre há um problema é que, a posição, as atitudes, palavras e comportamentos de outrem interferem na sua vida de tal forma que nos faz ficar paralisados de tão chocados e filhas da puta de impressionados. Não de uma maneira boa. Da pior forma possível.
Então, jogam-lhe um fardo em seus pés e gritam: Carregue! Não foi você quem o fez, mas carregará pela língua do outro... E com sentimento de humildade e humilhação você abaixa a cabeça, coloca o saco em suas costa e começa a andar. Revoltado, esperneando mas mesmo assim anda, pra frente. Porque?
Você vai parar a sua vida e explicar a pessoas desconhecidas o quão é inventada e distorcida toda esta história? O quanto é mentirosa que chega a lhe subir um fio de raiva pela espinha? Não.. Você não faz isso. Acha desnecessário afinal não são seus amigos, são apenas conhecidos, e no fim, as pessoas que são realmente próximas da sua vida sabe que nada condiz com a pessoa que você é. Mas mesmo assim, isso te tira o sono.
 E para desfazer uma merda da qual você não participou, muda-se o comportamento, para melhor. Seguir em frente, olhar pra cima, colocar uma pedra e "um passo de cada vez". Simplesmente não da pra tirar um ideal construído a anos na imaginação de pessoas que nem fazem parte do seu círculo. Aceita-se esta condição e toca sua vida porque você esta com a consciência tranquila. É pra você, para sua família e para as pessoas que são importantes que você tem que mostrar no ato a verdade, o resto vão enxergar por si. Mas isso leva tempo. Mas não tenho pressa. 
Eu sei quem eu sou, eu sei que mudei drásticamente em um período curto para um forma pior do meu ser por revolta, raiva e ressentimentos... Mas sei também que essa não sou eu, por isso velhos Hábitos. Voltar a ser o que eu era, o que sempre fui e o que nunca devia ter mudado em mim.  



 Velhos hábitos nos trazem de volta pra casa.
Postar um comentário